Avançar para o conteúdo principal

regresso à infância... simplesmente um ovo!

Quando vi, numa loja de decoração, os suportes para os ovos cozidos, relembrei a minha infância, dos almoços em casa da avó... um ovo cozido! Simples não é? Mas delicioso!
Tinha de partilhar esta experiência com a minha filhota!


No entanto, ouvimos muito falar do "perigoso" ovo!
Mas será mesmo????

São frequentes as alturas em que ouvimos que não podemos comer mais do que três a quatro ovos por semana... porque tem muito colesterol.
Em certa parte é correto, o ovo tem muito colesterol (215mg), todo na gema, e por isso não podemos comer muitos. Mas a verdade é que o colesterol que ingerimos é só uma parte da equação do aumento do colesterol, o consumo elevado de gorduras saturadas (origem animal) e de gorduras trans (alimentos processados) tem um papel muito mais significativo nesse aumento.

Mas o ovo não é só colesterol! Este alimento é "só" o que possui as proteínas de melhor qualidade na alimentação humana e é rico em vários minerais (selénio, zinco e iodo) e vitaminas (A, D K, B2, B12 e ácido fólico), não é por acaso que é o "início de um novo ser"!

Então, porque continuamos a usar o ovo como acompanhamento da carne e do peixe e não como componente principal?

Com estas característica o ovo pode e deve ser o protagonista nos nossos pratos!

As recomendações são de até um ovo por dia, ou seja, sete ovos por semana (em substituição de carnes vermelhas, gordas e enchidos).

Para as crianças, porque têm necessidades nutricionais mais baixas que os adultos, 4 ovos por semana.

A mostrar image1.jpeg

E podemos usar o ovo de várias formas... cá em casa usamos cozido, mexido, em omelete ou até estrelado em água... mas estas receitas ficam para os próximos posts!

E os papás, como cozinham os ovos em casa?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

Comentários

mensagens mais lidas

O Crescimento e o Percentil

Olá mamãs e papás!
Nós papás já ouvimos falar variadíssimas vezes sobre o Percentil (P) do nosso filho, mas será que entendemos o seu significado? No boletim de saúde infantil e juvenil encontrámos uns gráficos de cor azul ou rosa dependendo do género do nosso bebé, estes chamam-se curvas de crescimento infantil e são um indicador importante para acompanhar a evolução do peso e do comprimento do nosso bebé.
Durante os primeiros 12 meses de vida o bebé, em média, triplica o seu peso e o seu comprimento aumenta para o dobro, relativamente ao seu nascimento.
Desde 2013 que Portugal adoptou as recentes curvas de crescimento da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais próximas da realidade da nossa população.
No boletim de saúde infantil e juvenil, na página 8, temos o gráfico abaixo. No eixo/linha horizontal temos a idade em meses e anos e no eixo/linha vertical temos o peso em quilogramas. As linhas curvas indicam o P, no final de cada uma há um número que o enumera, de baixo para cima,…

Um presente de Natal #O Pai-Natal chegou mais cedo

Olá papás! Hoje recordamos mais uma receita do blog. A fruta mais uma vez presente, como já tinha dito vamos enriquecer a nossa mesa com sobremesas saudáveis.
Não é nada difícil!
Pai-Natal de Morango
(a partir dos 9 meses)

p.s. para o creme basta adicionar o iogurte ao queijo aos poucos até conseguir uma consistência de chantili ;)
Beijinhos da Cláudia e da Clarinha 

estou a provar novos alimentos! #o meu primeiro iogurte

Olá papás! Este post é para os bebés mais pequeninos que estão a provar novos alimentos ou vão começar em breve!
O ano passado falei-vos do iogurte de eleição para a Clarinha, aqui, hoje venho marcar mais uma vez essa opinião, se quiserem introduzir o iogurte mais cedo do que os 9 meses, o iogurte ideal é este:

Agora com nova cara, mas o mesmo equilíbrio nutricional, "o teu primeiro pingo doce" é um iogurte que pode ser introduzido a partir dos 6 meses porque a sua base é leite de transição (leite adaptado às necessidade do bebé) e não tem açúcares adicionados, ponto muito importante para os bebés!
Experimentem!
Beijinhos da Cláudia e da Clarinha