Avançar para o conteúdo principal

a papa perfeita parte IV #conclusão

Olá mamãs e papás!

De tantas papas no mercado, biológicas ou não, caseiras, lacteas ou não, são tantas que escolher só uma delas pode ser complicado e trazer desvantagens para o nosso bebé.

Já vos tenho falando sobre a papa perfeita em alguns posts, das quais a Clarinha já comeu de todas, atualmente nem tanto porque já não gosta muito de papa, na creche ainda vai comendo porque vê os amiguinhos e umas papas de aveia ao pequeno-almoço também...

Mas vamos lá escolher...

...no momento escolher devemos ser rígidos e decidir só pelas que não têm açúcar?

Tal como vos tinha dito encontramos algumas sem açúcar mas com maltodextrina que é um açúcar e a maioria das papas contém este ingrediente. Reduzindo as papas "perfeitas" para três: as caseiras, as biológicas não lacteas e a 1ª papa da Cerelac não láctea. Bem se variarmos a decisão parece fácil...

MAS, depois vem a questão do enriquecimento das papas... as papas habituais (Cerelac, Nutribén...) são todas enriquecidas em vitaminas e minerais, ajudado a suprir as necessidades nutricionais dos bebés, e as caseiras não são e as biológicas até são mas só em uma ou outra vitamina.

E vocês perguntam: mas os bebés precisam mesmo desse enriquecimento nutricional?

A opinião dos profissionais de saúde parece varia mas houve uma que me fez pensar: "os bebés podem precisar ou não deste acréscimo de nutrientes, mas se temos possibilidade de introduzir nutrientes acima do mínimo recomendado, porque não? E com as papas caseiras ou as biológicas isso não é possível... não precisamos de voltar aos hábitos alimentares do submundo"


Assim, digo-vos: não existe uma papa perfeita e nós pais temos de tentar escolher o melhor para os nossos pimpolhos, e o segredo está em variar, o nosso bebé não vai comer sempre a azul ou a amarela, se come 3 refeições de papa por semana uma delas pode ser biológica outra caseira e outra das que encontramos no supermercado.

Se quiserem uma ajuda usem este descodificador de rótulos para comparar quantidade de açúcar nas vossas escolhas...


se nunca usaram este post vai ajudar ;)


Espero ter ajudado,

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

Comentários

mensagens mais lidas

O Crescimento e o Percentil

Olá mamãs e papás!
Nós papás já ouvimos falar variadíssimas vezes sobre o Percentil (P) do nosso filho, mas será que entendemos o seu significado? No boletim de saúde infantil e juvenil encontrámos uns gráficos de cor azul ou rosa dependendo do género do nosso bebé, estes chamam-se curvas de crescimento infantil e são um indicador importante para acompanhar a evolução do peso e do comprimento do nosso bebé.
Durante os primeiros 12 meses de vida o bebé, em média, triplica o seu peso e o seu comprimento aumenta para o dobro, relativamente ao seu nascimento.
Desde 2013 que Portugal adoptou as recentes curvas de crescimento da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais próximas da realidade da nossa população.
No boletim de saúde infantil e juvenil, na página 8, temos o gráfico abaixo. No eixo/linha horizontal temos a idade em meses e anos e no eixo/linha vertical temos o peso em quilogramas. As linhas curvas indicam o P, no final de cada uma há um número que o enumera, de baixo para cima,…

estou a provar novos alimentos! #o meu primeiro iogurte

Olá papás! Este post é para os bebés mais pequeninos que estão a provar novos alimentos ou vão começar em breve!
O ano passado falei-vos do iogurte de eleição para a Clarinha, aqui, hoje venho marcar mais uma vez essa opinião, se quiserem introduzir o iogurte mais cedo do que os 9 meses, o iogurte ideal é este:

Agora com nova cara, mas o mesmo equilíbrio nutricional, "o teu primeiro pingo doce" é um iogurte que pode ser introduzido a partir dos 6 meses porque a sua base é leite de transição (leite adaptado às necessidade do bebé) e não tem açúcares adicionados, ponto muito importante para os bebés!
Experimentem!
Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

a papa perfeita parte III

Olá papás!

Mais um post sobre papas... em novembro iniciei a busca pela papa perfeita... passei pelas comerciais, aqui, e depois as caseiras, aqui... e hoje vou falar-vos das papasbiológicas... para mim uma papa 5 estrelas!
Vou falar-vos de duas marcas distintas e onde podem encontrá-las, a primeira é a Holle, a papa que desde que conheço uso de várias formas e feitios nos lanches da Clarinha. No seu leque de produtos tem papas lácteas e não lácteas.

As papas não láctea sem glúten, a partir dos 4 meses: flocos de arroz, milho-miúdo, milho-miúdo, 3 cereais, milho e tapioca, puré de abóbora.



E as papas não láctea com glúten, depois dos 6 meses: espelta, semolina (trigo), flocos de aveia, muesli (recomendo após os 12 meses, porque contém polpa de framboesa, potencial alergénico).
Eu preparo-as com leite materno morno ou até com água (70 mL) e depois misturo um iogurte natural ou fruta cozida ou ralada.

A papa láctea sem glúten, a partir dos 4 meses: sorgo. E as papas lácteas com glúten, …