Avançar para o conteúdo principal

Dica: O Iodo!

Olá papás!


Nos últimos dias têm surgido notícias sobre um estudo da Universidade do Porto com resultados preocupantes, mais de metade da população em estudo (cerca de 800 crianças entre os 6 e os 12 anos) tem níveis inadequados de iodo, desta cerca de um terço com deficiência, comprometendo o desenvolvimento cognitivo da criança.

Em 2013 já surgiram recomendação para a suplementação de iodo na gravidez, na altura estava grávida da Clarinha e mesmo com uma alimentação adequada apostei na suplementação, por vontade própria mas também por recomendação médica. Além da suplementação também comecei a usar sal iodado, conseguem encontram no supermercado... com 5g de sal diária (1 c. chá), a dose máxima diária recomendada, as recomendações de iodo são quase atingidas. O sal iodado já é utilizado há algum tempo nos EUA e em países ocidentais, conseguindo eliminar a deficiência em iodo.

exemplo de sal iodado

Tal como diz a investigadora Conceição Calhau o sal iodado é a melhor solução, sendo um ingrediente usado diariamente com a correta legislação seria possível atingir o aporte de iodo necessário com quantidades saudáveis de sal.

Mas enquanto isso não acontece resta-nos recorrer ao melhor medicamento do mundo, a alimentação. Com uma alimentação equilibrada é possível atingir o aporte necessário de todos os nutrientes essenciais à vida. 

Quanto ao iodo, podemos encontrá-lo no sal iodado, como já referi, frutos do mar, como os moluscos, e peixes de água salgada como as sardinhas, salmão, pescada e o bacalhau, mas deve ter atenção à origem do peixe, dê preferência ao peixe do MAR e diminua o de aquacultura. Os peixes de água doce, o leite e os ovos também são fontes de iodo, embora em quantidades menores.

Resumindo, devemos trocar o nosso sal comum por sal iodado (Atenção: o sal deve ser introduzido o mais tarde possível na alimentação dos mais pequenos e sempre depois dos 12 meses!), consumir diariamente peixe (importante equilibrar o consumo de peixe, carne e ovo) e, também, laticínios.

Foi uma boa ajuda? Espero que sim...

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

Comentários

mensagens mais lidas

O Crescimento e o Percentil

Olá mamãs e papás!
Nós papás já ouvimos falar variadíssimas vezes sobre o Percentil (P) do nosso filho, mas será que entendemos o seu significado? No boletim de saúde infantil e juvenil encontrámos uns gráficos de cor azul ou rosa dependendo do género do nosso bebé, estes chamam-se curvas de crescimento infantil e são um indicador importante para acompanhar a evolução do peso e do comprimento do nosso bebé.
Durante os primeiros 12 meses de vida o bebé, em média, triplica o seu peso e o seu comprimento aumenta para o dobro, relativamente ao seu nascimento.
Desde 2013 que Portugal adoptou as recentes curvas de crescimento da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais próximas da realidade da nossa população.
No boletim de saúde infantil e juvenil, na página 8, temos o gráfico abaixo. No eixo/linha horizontal temos a idade em meses e anos e no eixo/linha vertical temos o peso em quilogramas. As linhas curvas indicam o P, no final de cada uma há um número que o enumera, de baixo para cima,…

a papa perfeita parte III

Olá papás!

Mais um post sobre papas... em novembro iniciei a busca pela papa perfeita... passei pelas comerciais, aqui, e depois as caseiras, aqui... e hoje vou falar-vos das papasbiológicas... para mim uma papa 5 estrelas!
Vou falar-vos de duas marcas distintas e onde podem encontrá-las, a primeira é a Holle, a papa que desde que conheço uso de várias formas e feitios nos lanches da Clarinha. No seu leque de produtos tem papas lácteas e não lácteas.

As papas não láctea sem glúten, a partir dos 4 meses: flocos de arroz, milho-miúdo, milho-miúdo, 3 cereais, milho e tapioca, puré de abóbora.



E as papas não láctea com glúten, depois dos 6 meses: espelta, semolina (trigo), flocos de aveia, muesli (recomendo após os 12 meses, porque contém polpa de framboesa, potencial alergénico).
Eu preparo-as com leite materno morno ou até com água (70 mL) e depois misturo um iogurte natural ou fruta cozida ou ralada.

A papa láctea sem glúten, a partir dos 4 meses: sorgo. E as papas lácteas com glúten, …

estou a provar novos alimentos! #o meu primeiro iogurte

Olá papás! Este post é para os bebés mais pequeninos que estão a provar novos alimentos ou vão começar em breve!
O ano passado falei-vos do iogurte de eleição para a Clarinha, aqui, hoje venho marcar mais uma vez essa opinião, se quiserem introduzir o iogurte mais cedo do que os 9 meses, o iogurte ideal é este:

Agora com nova cara, mas o mesmo equilíbrio nutricional, "o teu primeiro pingo doce" é um iogurte que pode ser introduzido a partir dos 6 meses porque a sua base é leite de transição (leite adaptado às necessidade do bebé) e não tem açúcares adicionados, ponto muito importante para os bebés!
Experimentem!
Beijinhos da Cláudia e da Clarinha