Avançar para o conteúdo principal

Quanto leite bebe o meu bebé?

Olá mamãs e papás! mais uma vez venho falar-vos da alimentação dos nossos pequeninos e o post de hoje circula à volta da questão: "-será que o meu bebé bebe leite suficiente ou até está a comer demais?".

O crescimento do nosso bebé é a resposta correta a esta pergunta, mas há outra forma de ajudar, tanto para bebés que bebem leite artificial como para os que mamam aplica-se uma fórmula para ajudar:

o nosso bebé, enquanto estiver com leite exclusivamente, bebe um sexto do seu peso corporal dividido pelas mamadas/refeições de leite em 24h, por exemplo:

um bebé com 5kg (5000g)

5000g : 6 = 833,33
833,33 : 6 refeições = 138 ml

ou seja, este bebé em cada refeição de leite bebe cerca de 140 ml.

para ajudar um pouco mais disponibilizo a tabela abaixo além de ajudar com as quantidades de leite que deve beber um bebé, pretende também, evitar o exagero de consumo de leite e derivados pelos nossos pequenotes, principalmente após os 12 meses...


falando um pouco da Clarinha como exemplo: faz entre 5 a 6 refeições por dia, normalmente o dia alimentar da C descreve-se assim:


  • 7 horas - Pequeno-almoço: Leite materno
  • 10 horas - Merenda da manhã: Iogurte ou leite materno (não faz todos os dias, depende da hora do acordar)
  • 13 horas - Almoço: Sopa, Prato (carne/peixe, legumes e arroz/massa) e Fruta
  • 16 horas - Merenda da tarde: Papa ou iogurte com fruta
  • 19 horas - Jantar: Sopa, Prato (carne/peixe, legumes e arroz/massa) e Fruta
  • 22 horas - Ceia: Leite materno
como podem ver faz entre 3 a 4 refeições de leite ou derivados (iogurte e papa)...

a partir dos 12 meses as necessidades de proteína diminuem porque o crescimento começa a ficar mais lento. já não são necessário 180mL de leite a cada refeição, mas sim 120mL de leite e derivados que com a ajuda da carne e do peixe suprem as necessidades de proteína... 

atenção papás!... depois do que leram... será que estão a oferecer muito leite aos vossos bebés?

beijinhos da Cláudia e da Clarinha



Comentários

mensagens mais lidas

voltamos de cara lavada!

Olá mamãs e papás!

voltamos da nossa pausa um quanto longa, deu algum trabalho, ainda faltam 2 ou 3 acertos mas vale tão a pena, ver o nosso bebé mais novo de cara lavada e como novo!



mamãs e papás que ainda não nos conhecem, eu sou a Cláudia, mãe, nutricionista e com algum jeito com as mãos, adoro cozinhar e adoro comida. vão ver muitas receitas saudáveis mas cá em casa não prendo a nossa alimentação ao lema "super saudável", comer de tudo com moderação é a base da nossa alimentação. também adoro pôr mãos à obra, por isso vão ver também algumas dicas e projetos por aí! mas antes de tudo isso a família, sempre em primeiro lugar, dar a conhecer o mundo à Clarinha e aproveitar para estarmos juntos! 
se não nos virem muitas vezes é porque estamos a ser felizes!
beijinhos da Cláudia e da Clarinha

O Crescimento e o Percentil

Nós papás já ouvimos falar variadíssimas vezes sobre o Percentil (P) do nosso filho, mas será que entendemos o seu significado? No boletim de saúde infantil e juvenil encontrámos uns gráficos de cor azul ou rosa dependendo do género do nosso bebé, estes chamam-se curvas de crescimento infantil e são um indicador importante para acompanhar a evolução do peso e do comprimento do nosso bebé.
Durante os primeiros 12 meses de vida o bebé, em média, triplica o seu peso e o seu comprimento aumenta para o dobro, relativamente ao seu nascimento. Desde 2013 que Portugal adoptou as recentes curvas de crescimento da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais próximas da realidade da nossa população.

No boletim de saúde infantil e juvenil, na página 8, temos o gráfico abaixo. No eixo/linha horizontal temos a idade em meses e anos e no eixo/linha vertical temos o peso em quilogramas. As linhas curvas indicam o P, no final de cada uma há um número que o enumera, de baixo para cima, temos o P3, P15, P50, …

Magical Unicorn Party #3 O Bolo!

Olá mamãs e papás!
Depois de uma tragédia que nos abalou a todos e de contribuirmos como podemos, seja em pensamento, monetariamente, voluntariado, como não importa, apenas que todas as vítimas estão no nosso pensamento e cada um ajuda como pode e deseja. Gostaria ainda de enviar os meus sinceros sentimentos a todos os familiares das vítimas e desejar-lhes muita força neste momento tão difícil.