Avançar para o conteúdo principal

Dica: Fórmulas infantis #a nossa escolha

Olá mamãs e papás!

Já algumas vezes falei aqui sobre a importância do leite materno e que este deve ser sempre a primeira escolha, quando possível, trazendo benefícios para o pequeno rebento mas também para a mamã!

No entanto, na ausência ou insuficiência de leite materno, passamos à segunda escolha... a fórmula infantil!

As fórmulas para lactentes e de transição (1 e 2) estão legisladas quanto à sua composição e quantidades dos ingredientes, uma vez que devem conter ingredientes em certas quantidades que tenham como objetivo nutrir ou outros com benefícios para a saúde do bebé comprovados. Estas fórmulas infantis são substitutas do leite materno e são nutricionalmente seguras, embora não assegurem todos os benefícios do leite da mamã.

Vamos lá, então, escolher...

Primeira "regra": para um bebé saudável, de termo e sem história familiar de atopia, a escolha passa pelas formulas standard, e depois se necessário optamos pelas fórmulas especiais...

Segundo: se o bebé tiver menos de 6 meses de idade devemos optar por uma fórmula para lactentes, as número 1, pois estão indicadas para bebés até essa idade. Depois dos 6 meses, ao iniciar a diversificação alimentar, optamos por uma fórmula de transição, as número 2. Estas últimas podem ser usadas até as 12-24 meses, podendo prolongar-se até aos 36 meses.

a nossa escolha...


Os leites da Holle, porque além da sua segurança nutricional, é uma fórmula elaborada a partir de 99% de ingredientes produzidos em modo biológico, tornando-o num leite seguro e saudável.

E os leites da Nestlé que se destacam pela sua qualidade proteica: "uma mistura proteica adaptada para fornecer a quantidade certa de proteínas necessárias ao crescimento do bebé sem sobrecarregar os órgãos ainda imaturos", mas também pela presença de ácidos gordos (DHA e ARA) presentes no leite materno.

Terceiro: embora o leite de vaca possa ser introduzido a partir dos 12 meses, a WHO recomenda a sua introdução só após os 3 anos de idade. O que nos leva a outra questão: aos 2 anos posso/devo então optar pelo leite de crescimento?
     
-Na minha opinião, se pretendem optar por um leite líquido, não optem por um leite de crescimento...
*têm mais calorias que o leite de vaca meio gordo,
*têm açúcar adicionado, podendo dificultar o gosto pelo sabor natural dos alimentos
*podem conter aromas artificiais (aditivos),
*e apenas as crianças com falta de apetite podem beneficiar com estes leites.

... escolham o leite de vaca meio gordo!

São da mesma opinião?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

p.s. papás de Paredes e arredores podem encontrar os leites e papas da Holle nos Intermarché de Penafiel e Paredes, na sua  parafarmácia ;)

Comentários

mensagens mais lidas

O Crescimento e o Percentil

Olá mamãs e papás!
Nós papás já ouvimos falar variadíssimas vezes sobre o Percentil (P) do nosso filho, mas será que entendemos o seu significado? No boletim de saúde infantil e juvenil encontrámos uns gráficos de cor azul ou rosa dependendo do género do nosso bebé, estes chamam-se curvas de crescimento infantil e são um indicador importante para acompanhar a evolução do peso e do comprimento do nosso bebé.
Durante os primeiros 12 meses de vida o bebé, em média, triplica o seu peso e o seu comprimento aumenta para o dobro, relativamente ao seu nascimento.
Desde 2013 que Portugal adoptou as recentes curvas de crescimento da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais próximas da realidade da nossa população.
No boletim de saúde infantil e juvenil, na página 8, temos o gráfico abaixo. No eixo/linha horizontal temos a idade em meses e anos e no eixo/linha vertical temos o peso em quilogramas. As linhas curvas indicam o P, no final de cada uma há um número que o enumera, de baixo para cima,…

Vamos brincar à alimentação! #playtime

Olá mamãs e papás!
Esta semana como já vos tinha dito comemora-se o Dia Mundial da Alimentação, e nesse âmbito a educadora da Clarinha pediu a minha colaboração junto das crianças e também dos pais!
Com os mais pequenos optei por duas atividades simples, com o objetivo de perceberam o certo e o errado e falar um pouco sobre o lanche.
O primeiro jogo é muito simples...
Vão precisar: *2 pratos de papel *molas de madeira *imagens de alimentos
Além da escola também podem trabalhar a alimentação saudável em casa com este jogo bem divertido ;)
O segundo foi uma simples lancheira imprimida em cartolina, na qual as crianças escolhem, recortam e colam o seu lanche saudável dentro de uma seleção de imagens que levei para a escola.
Depois veio a parte com os pais! Já tínhamos falado do lanche com os pequenos e com os graúdos achamos por bem falar sobre o jantar... um workshop rápido com várias dicas, mas que serviu princialmente para esclarecer dúvidas!
Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

Bolo de mel e figos #fruta da época

Olá mamãs e papás!
Durante esta semana haverão muitas comemorações, workshops, dicas que irão ouvir e ver devido ao dia que se assinala, o dia mundial da alimentação! Não iria deixar em branco mas hoje deixo-vos apenas uma pequena dica...
Uma alimentação saudável é, também, comer alimentos da época e locais!
Os alimentos da época, mais especificamente, as frutas e vegetais são os mais ricos nutricionalmente, em vitaminas, minerais e antioxidantes. Escolher o que é nosso! Vamos comer o que a nossa terra nos dá... vamos voltar aos hábitos mediterrânicos!
Assim, hoje deixo-vos uma receita simples que podem usar com qualquer fruto da época! Este bolo lembra o bolo de ananás invertido. Quem nunca comeu, fez, ou um familiar trouxe para uma encontro de família?
Pois é... uma bolo delicioso com alguns ajustes que podem fazer com a fruta que têm em casa... eu inspirei-me no bolo de ananás invertido e nesta receita.
Vamos lá então! bolo de mel e figos invertido
(a partir dos 24 meses) ingrediente…