13 de maio de 2016

Dica: Fórmulas infantis #a nossa escolha

Olá mamãs e papás!

Já algumas vezes falei aqui sobre a importância do leite materno e que este deve ser sempre a primeira escolha, quando possível, trazendo benefícios para o pequeno rebento mas também para a mamã!

No entanto, na ausência ou insuficiência de leite materno, passamos à segunda escolha... a fórmula infantil!

As fórmulas para lactentes e de transição (1 e 2) estão legisladas quanto à sua composição e quantidades dos ingredientes, uma vez que devem conter ingredientes em certas quantidades que tenham como objetivo nutrir ou outros com benefícios para a saúde do bebé comprovados. Estas fórmulas infantis são substitutas do leite materno e são nutricionalmente seguras, embora não assegurem todos os benefícios do leite da mamã.

Vamos lá, então, escolher...

Primeira "regra": para um bebé saudável, de termo e sem história familiar de atopia, a escolha passa pelas formulas standard, e depois se necessário optamos pelas fórmulas especiais...

Segundo: se o bebé tiver menos de 6 meses de idade devemos optar por uma fórmula para lactentes, as número 1, pois estão indicadas para bebés até essa idade. Depois dos 6 meses, ao iniciar a diversificação alimentar, optamos por uma fórmula de transição, as número 2. Estas últimas podem ser usadas até as 12-24 meses, podendo prolongar-se até aos 36 meses.

a nossa escolha...


Os leites da Holle, porque além da sua segurança nutricional, é uma fórmula elaborada a partir de 99% de ingredientes produzidos em modo biológico, tornando-o num leite seguro e saudável.

E os leites da Nestlé que se destacam pela sua qualidade proteica: "uma mistura proteica adaptada para fornecer a quantidade certa de proteínas necessárias ao crescimento do bebé sem sobrecarregar os órgãos ainda imaturos", mas também pela presença de ácidos gordos (DHA e ARA) presentes no leite materno.

Terceiro: embora o leite de vaca possa ser introduzido a partir dos 12 meses, a WHO recomenda a sua introdução só após os 3 anos de idade. O que nos leva a outra questão: aos 2 anos posso/devo então optar pelo leite de crescimento?
     
-Na minha opinião, se pretendem optar por um leite líquido, não optem por um leite de crescimento...
*têm mais calorias que o leite de vaca meio gordo,
*têm açúcar adicionado, podendo dificultar o gosto pelo sabor natural dos alimentos
*podem conter aromas artificiais (aditivos),
*e apenas as crianças com falta de apetite podem beneficiar com estes leites.

... escolham o leite de vaca meio gordo!

São da mesma opinião?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

p.s. papás de Paredes e arredores podem encontrar os leites e papas da Holle nos Intermarché de Penafiel e Paredes, na sua  parafarmácia ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário