12 de maio de 2015

estou a provar novos alimentos #Carne de porco: hummm!?

Resultado de imagem para Carne de porco
Como já indiquei aqui a carne de porco só deve ser introduzida depois dos 12 meses, devido à presença de microrganismos patogénicos. Sabiam que de acordo com o relatório da União Europeia, a carne de porco é um dos alimentos implicados nas doenças de origem alimentar.
Por isso, esta carne deve ser bem confecionada e devemos ter cuidados de higiene durante a preparação dos alimentos.

Mas depois dos 12 meses como deve ser a frequência de consumo? 
Devemos limitar o consumo de carnes gordas/vermelhas (vaca e porco), preferindo carnes magras/brancas (frango, peru e coelho), retirando pele e gorduras visíveis.

Porquê?
Porque as carnes têm diferentes perfis lipídicos, ou seja, o tipo de gordura e a quantidade que faz parte da carne é diferente. E são os ácidos gordos saturados que prejudicam a nossa saúde, por exemplo, aumento de peso e aumento do LDL ("mau colesterol")!

Este gráfico vai ajudar a perceber as diferenças...


A costeleta de porco é um tipo de carne com muita gordura, principalmente saturada, em relação às outras. E as melhores carnes são a de frango e a de perú. A carne de coelho embora tenha a mesma quantidade de gordura que o lombo de vaca, tem menos ácidos gordos saturados, a sua gordura é mais fácil de retirar e não tem gordura trans...

Assim, devemos preferir as carnes magras, limitando o consumo de carnes gordas a uma vez por semana... não esquecendo de equilibrar com peixe e ovo!

E os papás quantas vezes comem por semana?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

Sem comentários:

Enviar um comentário